CURSO PRODUÇÃO DE ÁRVORES NATIVAS

337

CLIPPING – Saiu no JornalNaNet, GranjaNews, Folha do Pirajuçara, Rnews, Jornal D’aqui e Portal Terra, nosso release sobre o curso gratuito de Introdução à Produção de Mudas de Árvores Nativas, realizado em Embu das Artes. Confira:

Embu das Artes recebeu curso gratuito para produção de árvores nativas

Promovido pela SEAE, os participantes ainda saborearam um almoço vegetariano

004A Sociedade Ecológica Amigos de Embu – SEAE promoveu, no último dia 25, o curso gratuito “Introdução a Produção de Mudas Nativas”, ministrado pelo especialista Alexandre Fraga, do Instituto ECODAN de Pesquisa e Conservação Ambiental. O evento foi realizado no Espaço Virada Eco, local de pré-instalação do Viveiro da SEAE, onde os alunos puderam ver na prática exemplos de plantios e equipamentos necessários.

Fraga explicou que o primeiro passo para quem deseja desenvolver tais atividades é definir que tipo de viveiro e instalação vai utilizar. Eles podem ser permanentes ou temporários e os modelos variam de: Tarimbas ou Espaldares, Estufas, Telados e Túnel Hermano. Em seguida, deve-se atentar à escolha do local. Para isso, é preciso levar em conta os aspectos de praticidade para o cotidiano, como: água, acesso e distância, ventos e insolação, mão-de-obra, drenagem e declividade, localização do terreno e a presença de ervas daninhas. Um terceiro passo é se apropriar de ferramentas necessárias e compostos para o solo. Análise, escolha, coleta e armazenamento de mudas e sementes também foi abordado, juntamente com os métodos de plantio e irrigação.

No curso, foi evidenciado que a partir do mínimo é possível começar uma produção de mudas. De estética a filtro e refrigeração natural do ar; de alimento a remédio; de madeira à proteção de águas e solo, as vantagens de plantar árvores são muitas, inclusive comerciais: “para quem tem interesse em vender, cada tamanho da muda tem um valor diferente e quanto mais alta, melhor pode-se negociar”, explica o palestrante.

_DSC0574A importância das árvores nativas para o local escolhido também foi discutido na palestra. As árvores exóticas (de bioma diferente do local do plantio) podem se desenvolver tão rapidamente que desequilibram todo o ecossistema, uma vez que atraem bichos de outras áreas e estes, sem predadores naturais, podem virar praga naquele ambiente.

O bioma de Embu das Artes é predominantemente de Mata Atlântica. Esta característica incluiu a cidade em duas Reservas da Biosfera: do Cinturão Verde da cidade de São Paulo e da Mata Atlântica; ambas protegidas por leis federais.

A realização do evento é parte do quadro de responsabilidade socioambiental da SEAE, em parceria com o Espaço Virada Eco, e visa disseminar o conhecimento das espécies nativas e estimular o plantio de novas árvores na região.