J-ECO

179

O J-ECO é um grupo de jovens ecologistas que tem como missão buscar a mudança de paradigmas sobre as questões ambientais – promove ações, sensibiliza pessoas, numa sociedade acostumada a ficar passiva diante dos fatos.

O grupo surgiu em 2004 com o incentivo da educadora Maria Isabel Franco que convidou os jovens interessados para estudar a temática socioambiental a compor um grupo.
Em 2004, foi promovido um encontro de jovens coordenado pela educadora Maria Isabel fomentando o senso crítico para as questões ambientais e ao mesmo tempo sensibilizando, e dando orientações para o desenvolvimento profissional.
A partir de então foi formado o grupo J-Eco. Todas atividades do grupo são baseadas em metodologias da Agenda 21.

Objetivos do grupo

  • Fomentar o conhecimento dos jovens nas questões socioambientais com princípios da Agenda 21;
  • Fazer ações voltadas à comunidade de sensibilização, como conversas, encontros e atividades práticas;
  • Sensibilizar para as questões ambientais. Ex. Recurso Hídrico, Resíduos Sólidos, Mata Atlântica, etc.;
  • Promover ações voltadas à revitalização do principal rio do município de Embu – o Rio Embu Mirim.
  • Incluir o jovem numa sociedade onde ele tenha a oportunidade de opinar, de se expressar, sentindo-se parte integrante;
  • Valorizar e resgatar a história do Município de Embu das Artes;
  • Mostrar que o jovem é o presente e não o futuro;
  • Incentivar o senso crítico e a colaboração em trabalhos em grupos.

Como participar?

  • Ter idade entre 14 a 29;
  • Querer adquirir conhecimentos;
  • Entrar em contato com a SEAE

Algumas das ações realizadas pelo grupo

  • Caminhada diagnóstica para perceber os principais desafios do município em relações às questões ambientais;
  • Análise da água do rio Embu Mirim e do Rio Ribeirão da Ressaca através da Rede das Águas em parceria com a S.O.S Mata Atlântica;
  • Encontros e dinâmica com atividades baseadas na Agenda 21 para formar agentes multiplicadores;
  • Oficinas com reaproveitamento de materiais recicláveis;
  • Participação e mobilização juvenil nas Conferências Livre de Meio Ambiente de Juventude – regionais, municipais, estaduais e nacionais.
  • Oficinas de agricultura Urbana;
  • Atividades em Goiás representando a SEAE;
  • Monitorias de Educação Ambiental na Fonte dos Jesuítas e outras localidades;
  • Atuação na S.O. S Mata Atlântica em palestra, atividades com comunidades e trabalhos voluntários.