“Olímpiada do Saneamento” é encerrada com desafios cumpridos e objetivos alcançados

Projeto online e gratuito para crianças e adolescentes de Embu das Artes teve ampla participações e pode ocorrer com novas ações e parcerias em 2021.

Em 2020, a “Olímpiada do Saneamento”, desenvolvida pela Sociedade Ecológica Amigos de Embu (SEAE) teve que enfrentar grandes obstáculos por conta da chegada da Covid-19, contudo, os idealizadores, professores e comunidade conseguiram se reinventar e continuar a aplicação da ação por meio da internet. Um desafio que parecia ser gigante, na realidade, otimizou as atividades e proporcionou resultados positivos, inclusive uma maior inclusão, que rendeu 50 participantes diretos e três mil indiretos, que acessaram via redes sociais.

Como o projeto foi aplicado com o objetivo de promover conscientização e incentivo ao saneamento básico aplicado de forma correta, ao final de todas as atividades, prêmios foram concedidos aos envolvidos na iniciativa. Portanto, cinco escolas estaduais tiveram seus alunos premiados, que são: Sabrina Silva Soares, vencedora da melhor ilustração de um ambiente melhor no futuro, e Laryssa Silva Santos, pela fotografia mais aclamada por que fez registro de mananciais, a fim de simbolizar a água como fonte da vida. Ambas alunas são da E. E. Madre Odette de Souza Carvalho.

Ainda foram ressaltados os vencedores dos vídeos com maior qualidade, sobre temas pertinentes, como “O que seria de nós sem água”, “Poupar água é necessário”, “O que é saneamento básico” e “Nascente Rio Embu Mirim (Paratodos)”. As escolas estaduais gratificadas, consecutivamente, foram: Dona Maria Nélida Sampaio de Mello, Madre Odette de Souza Carvalho, Dr. Eduardo Vaz e Tadakiyo Sakai.

No encerramento do projeto, o qual foi virtual, os orientadores das ações aplicaram um quiz, também com intuito de premiar o aluno que mais acertasse. Como houve empate, os ganhadores foram Letícia Cristina e Miguel Costa Ribeiro, aluna da instituição Dona Maria Nélida Sampaio de Mello, e Micael Silva Souza que estuda no colégio Dr. Eduardo Vaz.

A ocasião contou com 15 palestras sobre água, saneamento, energia e vida, com participação da SABESP e sua analista de gestão em comunicação e educação ambiental – Luzia Helena Almeida. Estiveram também presentes a comunidade de Taboão da Serra, São Paulo, Itaboraí, Mairinque, Itapecerica da Serra e Embu das Artes. Ressalta-se que os conteúdos foram disponibilizados para todas as escolas via online, após o evento.

“Por ser um encontro virtual, conseguimos reunir 51 pessoas, de diferentes locais do Brasil, como São Paulo, São Roque, Manaus, Aracaju, Belo Horizonte, Belém, Rio de Janeiro, Recife e Goiás. Além disso, ressalto que 92% do público participante foi composto por mulheres”, informa Inara Siqueira, educadora ambiental e bióloga.

A fim de apresentar assuntos relevantes sobre o assunto, foram abordados os seguintes assuntos:

  • Água e a Bacia Hidrográfica, apresentada por Wagner Ramalho do Trata Brasil.
  • Resíduos Sólidos e Agroecologia, descrita por Jorge A. O. Pinto que é engenheiro Agrícola que atua na área de planejamento agrícola e elaboração de Planos de Controle Ambiental.
  • Uso Consciente e Reuso da Água, conduzida por Cesar Pegoraro, um biólogo, educador socioambiental, permacultor e ativista.
  • Preservação e Mata Atlântica, por Renato Gonda: Formado em letras, que atua no campo da educação, políticas públicas e meio ambiente
  • Culta, arte e meio ambiente, trabalhada por Rodolfo Almeida, presidente da SEAE, mediador e palestrante de “Saneamento Ecológico”, unido à Inara Siqueira – Educadora Ambiental/Bióloga e organizadora do projeto.

Para que a “Olímpiada do Saneamento” continuasse durante a pandemia, a Sociedade Ecológica Amigos de Embu recebeu apoio e parcerias de entidades importantes que foram: Fundo CASA Socioambiental, Diretoria de Ensino de Taboão da Serra (Núcleo Pedagógico – Governo do Estado de São Paulo), SABESP, SOS Mata Atlântica e Apiário Embu – Cidade das Abelhas.

Ao todo, foram 10 escolas participantes, as quais recebiam visitas antes da pandemia. Contudo, a partir das recomendações do Ministério da Saúde e OMS, os atendimentos passaram a ser virtuais, o que resultou numa queda de participação, chegando à metade. Por isso, cinco instituições foram atendidas e premiadas.

“A finalização do projeto foi um desafio com objetivos alcançados e participação positiva, principalmente da comunidade escolar durante o enfrentamento da pandemia. Iniciamos 2021 com resultados empolgantes e almejamos novas ações e parcerias para este ano”, esclarece Rodolfo Almeida, presidente da SEAE.

Derivada da “Olímpiada do Saneamento”, a “Cartilha Jardim Filtrante” está disponível gratuitamente por meio do site www.seaembu.org/saneamento-ecológico.

Clipping: http://www.direitoenegocios.com/olimpiada-saneamento/?fbclid=IwAR3ktzLiueHr-VVZWux7FnaFHmYDl41OT35rQ73lvDkeS6jPfG3397lUMZE

“Olímpiada do Saneamento” é reinventada na pandemia e se torna online

Medida enfrenta desafios por falta de estrutura e, ao mesmo tempo, ganha benefícios em comparação à atuação presencial

A “Olimpíada do Saneamento: jovem ativo na sua comunidade” é um projeto desenvolvido pela Sociedade Ecológica Amigos de Embu (SEAE), que obteve apoio do Fundo Casa Socioambiental, entidade que auxiliou fortemente no início da jornada. A iniciativa tem o objetivo de conscientizar alunos das escolas públicas de Embu das Artes sobre a importância do saneamento e promover maior envolvimento por meio da educação ambiental e proteção dos mananciais. Por isso, suas duas primeiras fases, ainda presenciais, incluíram a mobilização social e a produção de material temático sobre o tema.

Com essa nova fase, no modo online, os principais obstáculos enfrentados pela SEAE, alunos, professores e comunidade foram as alterações no cronograma para se encaixar às aulas remotas, dificuldade no acesso ao material por falta de rede e equipamentos eletrônicos, além da situação de vulnerabilidade de alguns participantes, que criou mais um contratempo na rotina. “Contudo, a situação nos trouxe novos pontos de vista e um alcance maior, por incrível que pareça”, esclarece Inara Siqueira, educadora ambiental e bióloga.

Já os principais pontos positivos de aplicar as medidas virtualmente são o incentivo dos alunos e professores por meio de premiações virtuais, acesso gratuito aos encontros virtuais, sem precisar gastar com transporte e disponibilização das aulas gravadas, o que facilita o aprendizado a qualquer momento.

“Conseguimos alcançar profissionais e pessoas interessadas pelo curso Educação ambiental para o saneamento e a saúde, mas não somente de Embu das Artes e Taboão da Serra, como também de outras localidades de São Paulo”, informa Rodolfo Almeida, presidente da SEAE.

Ao todo, foram cinco escolas estaduais do Estado de São Paulo, que foram Madre Odette Souza Carvalho, Tadakiyo Sakai, Irmã Iria kunz, Dona Maria Nélida Sampaio de Mello e escola Dr Eduardo Vaz. Durante a primeira tarefa, os alunos formaram as equipes EcologicaMentes, Tadakinhos, Sanea Iria, Equipe Nélida cuida da natureza e Zem. Na segunda etapa, os grupos se empenharam em fotografar e ilustrar sobre a temática da iniciativa. Já na terceira fase, todos foram convidadas a produzirem vídeos sobre água e saneamento, os quais foram entregues no final de novembro.

O projeto termina em 10 de dezembro de 2020, às 14 horas, com a realização da olimpíada do saneamento e apresentação dos resultados alcançados, que acontecerá em um evento online com junção das escolas participantes, uma competição e apresentação para a comunidade. A SEAE e participantes convidam a todos para assistirem à final de forma online.

Para saber mais sobre a Olimpíada do Saneamento, acesse: https://seaembu.org/projetos/em-andamento/projeto-olimpiada-do-saneamento-jovem-ativo-na-sua-comunidade/

 

Clipping: https://gazetadasemana.com.br/noticia/29969/olimpiada-do-saneamento–e-reinventada-na-pandemia-e-se-torna-online

Parque Tizo Jequitibá é inaugurado

Os moradores da Região Metropolitana de São Paulo ganharam nessa sexta-feira, 12 julho, mais uma opção de lazer para entrar em contato com a natureza. O Parque Jequitibá, antigo Parque Tizo, abriu os seus portões para a população, após a primeira reunião e posse de seu Conselho de Orientação.

O subsecretário de Meio Ambiente da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, Eduardo Trani, conduziu o encontro e narrou toda a história da unidade, desde a compra da área que era destinada a habitação popular e um entreposto de abastecimento, até sua transformação em uma área de lazer, educação e preservação ambiental.

“O esforço em conjunto, em prol de um objetivo em comum, uniu a população e o poder público, que com sensibilidade atendeu a essa demanda por mais áreas verdes na região”, comentou Trani.

A abertura do Parque Jequitibá foi possível após a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) receber a área da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo). O parque será administrado pela SIMA por meio da Coordenaria de Parques e Parcerias (CPP).

A criação do parque se deu por meio de decreto publicado em março de 2006. Projetado com ênfase na sustentabilidade, o parque vai oferecer uma área de 1,3 milhão de m2 sendo a maior parte composto por floresta bem preservada.

Para Eunice Maria Silva, conselheira pela Associação Ecológica Amigos do Embu, a abertura do Parque consolida o sonho da população de ter no seu entorno um espaço com exuberante natureza voltado à educação ambiental. Já a arquiteta urbanista, Patricia Akinaga, que assina o projeto implantado, a abertura “é a resposta do governo à sociedade civil”.

O Conselho de Orientação é formado por representantes das secretarias da Educação, Desenvolvimento, Infraestrutura e Meio Ambiente e da Habitação/CDHU. A sociedade civil é representada pelas Associações dos Moradores do Petit Village; Etecetera e Tal; Ecológica Amigos do Embu; os Institutos Embu de Sustentabilidade; de Proteção Ambiental; além da Escola Municipal de Ensino Fundamental Teófilo Benedito Ottoni.

Serviço

O Parque Jequitibá possui estacionamento gratuito e abre diariamente das 8 às 17 horas, com opções de trilhas, espaço de leitura e ações de educação ambiental como oficinas e palestras.

A área do Parque pode ser acessada pela Rua Sapucaí S/N, Bairro Gramado, de Cotia ou somente para pedestres pela Rua Savério Quadrio 701, Bairro Parque Ipê, São Paulo.

Fonte: https://www.infraestruturameioambiente.sp.gov.br/2019/07/secretaria-de-infraestrutura-e-meio-ambiente-abre-parque-jequitiba/

Posse do conselho do Parque Jequitibá

Posse do Conselho de Orientação e para tratar sobre a abertura do parque. 

Data: 12.07.2019 – Início:10:00 – Término: 12:00h

Local: Parque Jequitibá – Rua Sapucaí S/N, Bairro Gramado, Cotia-SP.

– Apresentação da equipe da Administração do Parque;

– Posse dos conselheiros;

– Apresentação do Programa de Educação Ambiental pela Coordenadoria de Educação Ambiental e monitores ambientais;

-Estruturação da agenda de trabalho 2019;

A reunião contará com a presença do Subsecretário do Meio Ambiente Eduardo Trani da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

Plano diretor de Embu é anulado

A revisão do Plano Diretor de Embu das Artes, de autoria do então prefeito Chico Brito, foi cancelada pela ADI – Ação Direta de Inconstitucionalidade Nº 2101490-07.2018.8.26.0000 de 07-02-2019, por não demonstrar estudos técnicos, não ter divulgação suficiente e ter contrariado a vontade popular.

Atividade gratuita ensina a implantar jardins filtrantes para tratar esgoto

No próximo sábado (8/6) ocorre o evento gratuito “Encontro de saneamento ecológico” em Embu das artes, região metropolitana de São Paulo. A atividade contará com palestras, visita a instalações em funcionamento e distribuição de cartilha.

A técnica de tratamento apresentada é o “Jardim Filtrante”, conhecido na permacultura como Zona de Raízes. Trata-se de uma Solução Baseada na Natureza (SbN), segura, eficiente e barata que foi pesquisada na USP, comprovou ser muito eficiente e já é empregada e licenciada até mesmo para o tratamento de grandes cidades e indústrias.PUBLICIDADE

A organizadora do evento, a OSCIP SEAE apresentará também os resultados de 12 meses de projeto sócio ambiental, com a educação ambiental de 300 jovens, o treinamento de 60 instaladores e 3 casas beneficiadas com a implementação do saneamento com jardim filtrante, apresentando as metodologias, lições e aprendizados.

Fechando as atividades da semana do meio ambiente será lançada a versão beta da primeira cartilha de Jardins Filtrantes brasileira. Ela visa ensinar o passo a passo para a instalação, mesmo para leigos, em residências unifamiliares de até 6 pessoas. 

SEAE

Criada por moradores na década de 70, a SEAE atua na preservação ambiental de Embu e região para estimular e ampliar os processos de transformação socioambiental, cultural e econômica, por meio de processos educacionais participativos e inclusivos, fomentando a atuação em políticas públicas, visando a conservação, recuperação e defesa do meio ambiente.

Quando e onde

DATA: 08/06/2019 – 8h30 às 12h.

LOCAL: ESCOLA MUNICIPAL CAPUTERA – Estrada Ressaca, Cotia 
De SP para Embu 50 minutos de carro partindo do metro Butantã

Parque do Jequitibá é depredado após ser fechado – Notícia R7

Parque do Jequitibá é depredado após ser fechado

Localizado na zona oeste de São Paulo, o parque do Jequitibá está fechado e sendo depredado. Com proporções semelhantes ao parque do Ibirapuera, o projeto foi criado há 13 anos e reserva um pedaço da Mata Atlântica. Agora, moradores e ambientalistas querem que ele seja concluído.

Confira a notícia na integra acessando AQUI